Associada ABRACOM
Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017 - 11h35

Diretor do Semesp comenta a suspensão de novos cursos de medicina

O diretor executivo do Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp), Rodrigo Capelato, comentou no jornal O Estado de S. Paulo a decisão do Ministério da Educação (MEC) de suspender por cinco anos a criação de cursos de medicina no país.

A decisão foi tomada após grande pressão de entidades de classe, contrárias ao aumento expressivo das vagas em graduações da área nos últimos anos, principalmente depois da Lei do Mais Médicos.

Para Capelato, a medida parece não ter base técnica, com estudos sobre a oferta de vagas e a qualidade dos cursos. "Atende à pressão política, sem que essas entidades tenham mostrado onde estão os problemas de ensino ou onde sobram vagas."

O Semesp ainda afirma que as decisões sobre abertura, fechamento e avaliação de cursos superiores não cabem às entidades de classe que têm, como função, regular a profissão para os egressos. A avaliação de cursos cabe somente aos órgãos de educação.

Confira a matéria completa.

compartilhe: